28 agosto, 2018

Carinho pelo correio


Eu sempre amei trocar cartas. Não possuo o dom da oratória e a melhor forma que encontro para expressar o que sinto é através de palavras escritas. Quando era mais nova eu e minhas amigas costumávamos escrever umas para as outras, mas crescemos e isso se perdeu um pouco, infelizmente. 
Desde que voltei a blogar, percebi que muitas meninas estavam revivendo esse costume tão bonito, e desde então fiquei animada com a ideia de poder fazer isso também. 

26 julho, 2018

Tenha coragem e seja gentil



☻Pinterest: @Doveriye ☻
Ontem durante a tarde, me aconteceu uma coisa legal. Para vocês entenderem mais o que eu quero passar, farei uma pequena contextualização. Infelizmente, eu tenho fobia social, em um grau que pode variar de acordo com as situações. Também tenho quatro gatinhos lindos, que comem bastante, fazendo com que a ração acabe bem rápido, e foi o que aconteceu ontem. Minha avó me pediu para ir comprar outro pacote e trazer outras coisas que ela estava precisando. Acontece que percorrer o caminho da minha casa até o super mercado e interagir com os homens que trabalham lá ( eles são maioria) me causa uma angústia enorme e quanto mais eu puder evitar isso, eu evito.

19 julho, 2018

O Oceano no Fim do Caminho, Neil Gaiman



O primeiro contato que tive com Neil Gaiman foi através de Coraline. Sou apaixonada pelo filme e quando li o livro, vi que Henry Selick fez um ótimo trabalho como diretor. O filme conseguiu captar a essência da obra original, se tornando um ótimo complemento. De qualquer forma, foi ali que me apaixonei pela escrita do Gaiman, e no mesmo instante eu soube que certamente me apaixonaria por qualquer outra coisa que ele escrevesse. Fiz uma lista, e entre os que queria ler, O oceano no fim do caminho era um dos primeiros. 

07 julho, 2018

Efemeridades , inconstâncias e um girassol intruso.



Intruso, pois o fotografei na última semana de aulas, e não nas férias que possibilitaram que esse texto existisse. 


Tem uma frase do Lewis Carroll que anda passeando bastante pela minha mente. A frase é a seguinte: "Quando acordei hoje de manhã, eu sabia quem eu era, mas acho que já mudei muitas vezes desde então." 
 No começo do mês passado eu mal podia esperar pelo recesso junino. Estava exausta da rotina escolar, de ver sempre os mesmos rostos e me estressar com bobagens. Hoje, prestes a voltar para tudo isso, posso dizer que estou ansiosa. A verdade é que ficar tanto tempo dentro de casa está me deixando deprimida. Estar no ócio me enlouquece e o que eu queria mesmo é um artigo de Sociologia pra escrever, igual ao que me fez perder noites para termina-lo dias antes de entrar em recesso. Tenho plena consciência de que não tardará para que eu me sinta sobrecarregada novamente, consequentemente desejando férias. Não é interessante? Nunca estamos satisfeitos com nada. Somos inconstantes, na maioria das vezes.

28 junho, 2018

Com amor, Simon.


Li Simon Vs. a Agenda Homo Sapiens ainda em 2016, quando ele foi trazido para o Brasil. Foi uma experiência muito boa, ainda mais porque, até o momento, nunca havia lido nenhum livro com temática LGBT(Q). Me lembro bem de ter indicado fortemente a um dos meus melhores amigos, que é gay, pois tinha certeza que ele também nunca tinha lido nenhuma obra do gênero e sabia que ele ia se apaixonar por Simon tanto quanto eu.

03 junho, 2018

Ir embora querendo ficar

        

É obviamente muito difícil deixar alguém que você ainda ama, mesmo que esse alguém te faça mal. Porém, posso dizer com certa propriedade que pode ser ainda mais doloroso partir quando é você que pode vir a ser o motivo da tristeza de alguém. A situação é cruel, mas você sabe que precisa fazer isso. E então você faz, e sente como se seu coração tivesse sido espremido. Os dias passam, e você começa a se sentir mais leve. Ainda triste, claro, mas conformada. Você sabe que fez o que era certo, mesmo que à princípio a pessoa não enxergue isso. 
Você lembra desse alguém com carinho, e se sente grata por o ter tido na sua vida. Sabe que outras pessoas maravilhosas virão, e que tudo na vida são ciclos, capazes de servir ou não como aprendizado. A escolha é sempre nossa.
Percebe que foi uma das coisas mais difíceis que teve que fazer, mas ao mesmo tempo, uma das mais libertadoras. 


28 maio, 2018

Aquele em que eu termino de assistir F.R.I.E.N.D.S

   Imagem de gif, friends, and courtney cox


Acho que é de conhecimento geral a rivalidade ( desnecessária e boba) que existe entre Friends e  How I Met Your Mother, que é uma das minhas séries preferidas. Eu ficava receosa, pois tinha medo de assistir Friends e começar a achá-la superior. Bobagem, né? Pois bem, comecei Friends em junho do ano passado, despretensiosamente, e mal sabia eu que acabaria me apaixonando perdidamente por ela. Friends, assim como HIMYM, acima de qualquer coisa, é uma série sobre pessoas. Sobre suas vivências, singularidades, erros e acertos.

26 maio, 2018

I am sad , but that's ok

  culturenlifestyle: “Whimsical Animated GIFs Capture the Beauty of Solitude by Ivy Berces Sixteen-year-old artist Ivy Berces composes stunning whimsical illustrations, which pay an homage to the beauty...

Você já se sentiu insuficiente? Tão impotente que nada do que você fez, faz ou irá fazer não bastaria?
Nesse exato momento, enquanto escrevo esse texto, é assim que me sinto.  Na verdade , eu nem  sei se conseguiria nomear o que estou sentindo agora. É uma mistura de raiva e tristeza. Raiva de mim mesma, por não ter coragem de dizer ou fazer as coisas que preciso. Tristeza, pois ninguém parece perceber.

Eu sou uma pessoa reservada e geralmente calma. Mesmo quando algo ou alguém me tira do sério, é extremamente raro que eu deixe transparecer ou me descontrole. Prefiro guardar tais sentimentos ruins para mim mesma , para evitar conflitos e situações desconfortáveis.
Desse modo, é de se esperar que eu acabe me magoando com frequência. E sabe o que é mais frustrante ? Não conseguir fazer nada sobre isso. Eu tenho extrema dificuldade em me impor e exigir respeito.

Não sei receber elogios, e tampouco críticas maldosas. Pequenas coisas me abalam profundamente , e por conta da minha ansiedade , esse tipo de situação se torna ainda pior. Muitas vezes me culpo por ouvir tais coisas, e mais ainda por não conseguir rebatê-las.
Tenho certeza de que não estou sozinha nessa , e talvez por isso eu esteja compartilhando agora.

É bom se sentir compreendido.